Cartas da Juventude: Crônica de Época, Recortes

Autoetnográficos (1968/1977) - de Assis Lima (Org.)

capa cartas.jpg

Em tempos de pandemia e isolamento social, a realização de eventos é limitada. Porém, os limites nem sempre são impedimentos: muitas vezes são desafios que geram respostas criativas.

Assim, a noite de domingo, dia 21 de março de 2021, ficou marcada por um encontro (à distância!) entre amigos que não se viam há muito tempo - mas como e onde isso aconteceu?

No lançamento virtual do livro Cartas da Juventude, um belo acontecimento!

A obra, organizada por ASSIS LIMA, é um verdadeiro manifesto a favor da memória e das amizades, um registro histórico, original e poético, feito a partir de cartas escritas por seis amigos:

EUGÊNIO GOMEZ

EMERSON MONTEIRO

FLAMÍNIO ARARIPE

JOSÉ ESMERALDO GONÇALVES

PEDRO DE LIMA

TIAGO ARARIPE

O lançamento do livro aconteceu via plataforma Zoom, aberto ao público, e contou com muitas presenças e participações: além do autor-idealizador do projeto, cinco autores das cartas puderam falar seus depoimentos sobre a obra; outras pessoas que contribuíram para a confecção do livro também falaram, como a Karla Melo, da Editora Confraria do Vento, e Ana Cecília Bastos, que escreveu a apresentação.

 

E, claro, participaram desta confraternização muitos convidados: familiares, amigos e amigas, que vivenciaram o encontro à distância, em suas casas, nos mais diversos lugares do país e do mundo.

 

Após as falas do autor-idealizador da obra, Assis Lima, autores e editores, chegou a vez de Pedro falar. Transcrevemos abaixo sua fala:


Com receio de que a idade avançada e a emoção me tirem as palavras, peço licença para ler o que escrevi para vocês.

Antes de tudo, parabenizo ao amigo Assis e a CONFRARIA DO VENTO pelo belo livro. Assis, além de poeta, é um grande articulador.

Estamos todos de parabéns com o lançamento dessas CARTAS DA JUVENTUDE!

Apesar dos tempos sombrios em que vivemos e da tristeza geral, me alegro com o nosso reencontro. Foi um tempo enorme que passou, sem que a gente se encontrasse... 

Hoje, além da tristeza de ver o país desmoronar, e do isolamento contra o corona vírus, cumpro outros isolamentos por causa do enfisema pulmonar. 

Fora esses contratempos, está tudo bem. É bom revê-los. Outro dia nos encontraremos para uma conversa, uma música, uma bebida e um abraço.

Como disse um poeta, sei que nada será como antes... Mas, eu só guardo boas lembranças de nossas vivências no Crato. Tudo valeu a pena. 

No meu caso, mesmo os arroubos juvenis, os sucessos e os fracassos me ajudaram a seguir em frente. Navegar.

Pois, como disseram outros poetas, a vida é assim mesmo. A vida vem em ondas como o mar.

A vida e os amigos sempre se renovam, como a última onda que o fim do mar sempre adia.

Um grande abraço a todos. Saúde!

 

Saiba mais sobre o lançamento e demais falas aqui!

Vejam, abaixo, algumas cenas do encontro:

WhatsApp Image 2021-03-21 at 19.32.46.jp